Com Bola e Tudo

Com Bola e Tudo

Os técnicos rodam, os times dançam... Ou seria na ordem inversa?

por Guilherme Barbosa, em 2016-05-30 09:41:00

Na semana passada o treinador Muricy Ramalho deixou o comando técnico do Flamengo, coisa normal no futebol brasileiro. Dando uma mais atenta ao fato pensei: “quando um técnico roda, dança sozinho ou leva o time junto?” mais à frente eu pensei: “mas afinal, quem acaba se lenhando no final da história?”.

 

 

A resposta pra essa pergunta eu ainda não tenho e, por isso, fui dar uma olhada na posição dos times na Série A do Brasileirão e comparar as equipes que trocaram com aquelas que não trocaram de treinador.

Trocas em 2016:
Ponte Preta: saiu Vinicius Eutrópio e chegou Alexandre Gallo
Figueirense: saiu Hudson Coutinho e chegou Vinicius Eutrópio
Fluminense: saiu Eduardo Baptista e chegou Levir Culpi
Palmeiras: saiu Marcelo Oliveira e chegou Cuca
Atlético-PR: saiu Cristovão Borges e chegou Paulo Autuori
Santa Cruz: saiu Marcelo Martellote e chegou Milton Mendes
Ponte Preta: saiu Alexandre Gallo e chegou Eduardo Baptista
Sport: saiu Falcão e chegou Oswaldo de Oliveira
Cruzeiro: saiu Deivid e chegou Paulo Bento
Atlético-MG: saiu Diego Aguirre e chegou Marcelo Oliveira
Flamengo: saiu Muricy Ramalho

 

Como começou a temporada de 2016:

América-MG: Givanildo Oliveira
Atlético-MG: Diego Aguirre
Atlético-PR: Cristovão Borges
Botafogo: Ricardo Gomes
Chapecoense: Guto Ferreira
Corinthians: Tite
Coritiba: Gilson Kleina
Cruzeiro: Deivid
Figueirense: Hudson Coutinho
Flamengo: Muricy Ramalho
Fluminense: Eduardo Baptista
Grêmio: Roger
Internacional: Argel Fucks
Palmeiras: Marcelo Oliveira
Ponte Preta: Vinícius Eutrópio
Santa Cruz: Marcelo Martelotte
Santos: Dorival Júnior
São Paulo: Edgardo Bauza
Sport: Falcão
Vitória: Vagner Mancini

América – MG, Botafogo, Chapecoense, Corinthians, Coritiba, Grêmio, Internacional, Santos, São Paulo e Vitória não trocaram de treinador.

 

Agora é hora da comparação. Vamos à classificação do Brasileirão:

 

 

Conseguiu ver o detalhe da comparação? Entre os times do G-4, três são daquele grupo que não trocou de técnico: Grêmio, Internacional e Corinthians. Se dividirmos a tabela em duas metades, no top-10 estão seis do grupo dos “sem mudança no comando”, ou seja, 60% das 10 melhores equipes da Série A até agora não trocaram de técnico. Até sábado, a situação era ainda mais gritante em prol dos que não mudaram de treinador, eram 8 entre os 10 melhores.

 

Com o foco na parte inferior da tabela, entre aqueles que já começaram o Campeonato Brasileiro sendo assombrados pela possibilidade do rebaixamento, podemos perceber que quase todos eles já trocaram de treinador nesta temporada: Figueirense, Cruzeiro e Sport. Somente o América – MG não mudou o comando técnico e está perigando cair.

 

Mas a gente cai naquela, se o treinador foi dispensado, na maioria dos casos, não foi por estar conseguindo fazer o time vencer e sim por que o time está mal, né? Por outro lado, mesmo depois de trocar de treinador, a coisa não avança. Sendo assim, vira uma ciranda: O time dança, o treinador roda e o time continua dançando pra outros treinadores rodarem...

 

 

Seleção Brasileira – Por falar em treinador rodar, vamos falar do time de Dunga, que está se preparando para a disputa da Copa América Centenário, uma edição comemorativa da disputa continental, nos EUA.

No final do domingo a Seleção Brasileira venceu a seleção do Panamá no único amistoso antes da Copa América. Quem esperava uma vitória por um placar elástico se decepcionou. A Seleção Brasileira já havia enfrentado o Panamá três vezes vencendo por 5 a 0 duas vezes e, na derradeira vez, por 4 a 0. Neste domingo, no duelo entre as nações da Lava Jato e do Panama Papers, não conseguiu fazer mais do que dois gols no fraco adversário. Sim, fraquíssimo, só não sei se fraco o suficiente pra tomar um 7 a 1 da Alemanha, mas tudo bem. 

 

----> @buteco512